Menu


Segundo o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou fotos de satélite da destruição na base áerea síria de Shayrat, que fica perto da cidade de Homs e foi atacada nesta sexta (horário local).

Ao todo, 59 mísseis Tomahawk foram lançados contra a base a partir de destróieres USS Porter e USS Ross, em retaliação a um ataque químico atribuído ao governo de Bashar Al-Assad que matou mais de 80 pessoas nesta semana.

VÍDEO:

A ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos, grupo que monitora a guerra na Síria, disse que 8 pessoas morreram no ataque promovido pelos EUA.





O ataque foi a primeira ação direta dos EUA contra Assad. Trata-se de uma mudança significativa na ação americana na região, pois até então os EUA apenas vinham atacando o grupo extremista Estado Islâmico.

Decisão de Trump:

O presidente americano, Donald Trump, que participou na quinta de um jantar com o presidente chinês Xi Jinping na Flórida, afirmou que Assad usou um agente que tem impacto no sistema nervoso para matar muitas pessoas. "Esta noite eu dei ordem para um ataque militar na base militar na Síria de onde o ataque químico foi lançado."

O conselheiro nacional de segurança H. R. McMaster disse que Trump recebeu três opções de como reagir contra o ataque sírio e disse aos conselheiros para focar em duas delas. Nesta quinta, ele decidiu qual seria a ação.

Nesta sexta, a embaixadora dos EUA na Síria, Nikki Haley, disse que o país está preparado para "fazer mais". "Nós estamos preparados para fazer mais, mas esperamos que não seja necessário", afirmou. "Os Estados Unidos não vão concordar que armas químicas sejam utilizadas. É nosso interesse vital de segurança nacional prevenir o uso e a disseminação de armas químicas."

O Pentágono informou que as forças da Rússia que atuam na Síria foram comunicadas sobre o ataque com antecedência e que setores da base onde havia russos foram evitados e não foram atingidos.


EUA bombardeiam base na Síria após ataque com armas químicas (Foto: )

Reação da Rússia e da Síria

Vladimir Putin, presidente da Rússia, que é aliada da Síria, afirmou que o ataque foi uma "agressão a um Estado soberano" e condenou a ação que, segundo ele, é baseada em "pretextos inventados", informaram agências da Rússia. O país tem negado que o governo sírio foi o responsável pelo ataque químico. Os russos dizem que as forças sírias bombardearam um depósito de armas dos rebeldes.

O chefe do Comitê de Defesa do Parlamento russo disse que a Rússia irá convocar uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU após o ataque aéreo dos EUA à Síria e que a ação pode enfraquecer o combate ao terrorismo no país, segundo a Reuters, que cita a agência russa RIA.

A presidência síria afirmou que o ataque dos Estados Unidos foi "irresponsável" e "imprudente", segundo a Associated Press. Em apoio a Bashar al-Assad, a Rússia anunciou que irá reforçar as defesas antiaéreas do exército sírio.

GUERRA EUA VS SÍRIA E RUSSIA!!! EUA Ataca a Síria com 59 misseis e Russia entra no meio


Segundo o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou fotos de satélite da destruição na base áerea síria de Shayrat, que fica perto da cidade de Homs e foi atacada nesta sexta (horário local).

Ao todo, 59 mísseis Tomahawk foram lançados contra a base a partir de destróieres USS Porter e USS Ross, em retaliação a um ataque químico atribuído ao governo de Bashar Al-Assad que matou mais de 80 pessoas nesta semana.

VÍDEO:

A ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos, grupo que monitora a guerra na Síria, disse que 8 pessoas morreram no ataque promovido pelos EUA.





O ataque foi a primeira ação direta dos EUA contra Assad. Trata-se de uma mudança significativa na ação americana na região, pois até então os EUA apenas vinham atacando o grupo extremista Estado Islâmico.

Decisão de Trump:

O presidente americano, Donald Trump, que participou na quinta de um jantar com o presidente chinês Xi Jinping na Flórida, afirmou que Assad usou um agente que tem impacto no sistema nervoso para matar muitas pessoas. "Esta noite eu dei ordem para um ataque militar na base militar na Síria de onde o ataque químico foi lançado."

O conselheiro nacional de segurança H. R. McMaster disse que Trump recebeu três opções de como reagir contra o ataque sírio e disse aos conselheiros para focar em duas delas. Nesta quinta, ele decidiu qual seria a ação.

Nesta sexta, a embaixadora dos EUA na Síria, Nikki Haley, disse que o país está preparado para "fazer mais". "Nós estamos preparados para fazer mais, mas esperamos que não seja necessário", afirmou. "Os Estados Unidos não vão concordar que armas químicas sejam utilizadas. É nosso interesse vital de segurança nacional prevenir o uso e a disseminação de armas químicas."

O Pentágono informou que as forças da Rússia que atuam na Síria foram comunicadas sobre o ataque com antecedência e que setores da base onde havia russos foram evitados e não foram atingidos.


EUA bombardeiam base na Síria após ataque com armas químicas (Foto: )

Reação da Rússia e da Síria

Vladimir Putin, presidente da Rússia, que é aliada da Síria, afirmou que o ataque foi uma "agressão a um Estado soberano" e condenou a ação que, segundo ele, é baseada em "pretextos inventados", informaram agências da Rússia. O país tem negado que o governo sírio foi o responsável pelo ataque químico. Os russos dizem que as forças sírias bombardearam um depósito de armas dos rebeldes.

O chefe do Comitê de Defesa do Parlamento russo disse que a Rússia irá convocar uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU após o ataque aéreo dos EUA à Síria e que a ação pode enfraquecer o combate ao terrorismo no país, segundo a Reuters, que cita a agência russa RIA.

A presidência síria afirmou que o ataque dos Estados Unidos foi "irresponsável" e "imprudente", segundo a Associated Press. Em apoio a Bashar al-Assad, a Rússia anunciou que irá reforçar as defesas antiaéreas do exército sírio.

Nenhum comentário